Para os profissionais de secretariado a constituição do Conselho Profissional além de fiscalizar o exercício profissional irá instituir o sigilo profissional, para coibir os abusos cometidos contra esses profissionais.

Em razão de suas atribuições, o profissional de secretariado exerce, fundamentalmente, uma função de confiança dentro de qualquer organização. Guardiões e gestores de informações, esses profissionais, cuja atuação não se enquadra nas funções de mero expediente, precisam urgentemente estabelecer um código de ética - com força de lei - e instituir o sigilo profissional.

A profissão de secretária e secretário executivo está regulamentada desde 1985, mas até hoje os profissionais lutam pela criação de um Conselho Nacional, com poder de fiscalização, para impedir que a profissão seja exercida por pessoas não habilitadas.

A questão foi colocada na sessão solene que comemorou nesta manhã, na Câmara Legislativa, o Dia da Secretária, 30 de setembro. A presidente do Sindicato das Secretárias e dos Secretários do Distrito Federal, Maria Normélia Nogueira, lembrou que há dez anos existem cursos superiores para formação desses profissionais no DF, mas as empresas continuam não fazendo distinção entre formados e não formados.

Secretárias também comemoram seu dia, 30 de setembro

Rais mostra que profissão tende a aumentar a cada ano. Em 2005, o número de profissionais era de 200.929. Um ano depois, passou para 202.670. A remuneração média também subiu

Elas assessoram os executivos no desempenho de suas funções, gerenciam informações, auxiliam na execução de suas tarefas administrativas e em reuniões, marcam e cancelam compromissos. Entre um dia e outro, estas profissionais - somente em 2006 eram mais de 200 mil em todo o País, segundo a Relação Anual de Informações Sociais (Rais) - têm sua data comemorada no dia 30 de setembro.

A Fenassec - Federação Nacional das Secretárias(os), para atender um de seus objetivos - Desenvolvimento do ser humano como um todo: do estudante ao aposentado -, sempre em sintonia com os padrões internacionais e de vanguarda, por tratar-se de uma das profissões que mais cresce no mercado, desde 2002 vem realizando Fóruns Nacional de Debates sobre Competências Profissionais.

Na sua primeira edição tratou da "Qualificação e Requalificação dos Profissionais de Secretariado"; na segunda (2004) o tema foi "Da formação que temos à atuação que o mercado exige".

Página 1 de 2

MINISTÉRIO PÚBLICO LANÇA CAMPANHA PARA ENFRENTAR NOVA LEI TRABALHISTA

O Ministério Público do Trabalho lançou segunda (7) a campanha Maio Lilás, que objetiva resgatar os direitos dos trabalhadores ameaçados pela reforma trabalhista de Michel Temer (Lei 13.467/17). O evento, no auditório da Procuradoria Geral do Trabalho, em Brasília, teve mesa-redonda com procuradores e representantes de entidades sindicais de trabalhadores e patronais.

O evento também lançou o site da campanha (www.reformadaclt.com.br/) e um vídeo sobre a nova lei trabalhista, esclarecendo detalhes sobre as mudanças implementadas e explicando o que muda após a aprovação da nova legislação.

A iniciativa, que tem apoio das Centrais e Sindicatos de todo o País, conta com diversas atividades durante o mês de maio.

O presidente da Nova Central Sindical de Trabalhadores, José Calixto Ramos, disse à Agência Sindical que movimentos como esse são importantes, a fim de ampliar o debate com a sociedade sobre o tamanho do estrago causado pela nova lei trabalhista. “A iniciativa é um incentivo à participação sindical. As entidades devem adotar a campanha, para mostrar à população a importância da proteção do Sindicato, única ferramenta de defesa do trabalhador”, explica.

Ataques - Calixto lembra que, além de enfraquecer os Sindicatos retirando a fonte de custeio, o governo tenta desmontar a proteção do trabalhador na Justiça do Trabalho. “O trabalhador precisa entender que, além de atacar a atuação sindical a partir da sua sustentação financeira, o governo e parte do Congresso Nacional querem acabar com a Justiça do Trabalho. A nova lei cria dificuldades a quem precisa entrar com ações”, frisa.

Segundo o procurador João Hilário Valentim, coordenador nacional de Promoção da Liberdade Sindical, a nova legislação coloca diversos obstáculos às atividades dos Sindicatos, principalmente ao dificultar a contribuição sindical. “Um Sindicato precisa de recursos para promover as ações em defesa dos representados. A crise no custeio afeta diretamente a ação sindical”, comenta.

Campanha - O Maio Lilás começou no ano passado. A cor lilás homenageia as 129 trabalhadoras, queimadas num incêndio criminoso numa fábrica de tecidos em Nova Iorque, dia 8 de março de 1857. Elas reivindicavam salário justo e redução da jornada de trabalho. No momento do incêndio, era confeccionado um tecido de cor lilás.

Fonte: Agência Sindical